Crônica do Llantada

A verdade sobre o fim do mundo

09 Março 2018 08:00:00


Antes de tudo, precisas ter um conceito científico do que seja o Mundo. Portanto, deixes os palpites religiosos de lado. Em especial o tal de "Apocalipse", porque é tudo mentira. Se olhares no dicionário, verás que a palavra "Mundo" tanto pode significar o "Universo" como o planeta "Terra", além de outros significados. Aqui nós vamos trabalhar com conceito de Universo, que engloba todos os planetas, estrelas e corpos celestes. Assim, de cara, já te digo: O Mundo nunca terá fim, pois o Universo é infinito. Em todos os sentidos; de tempo e espaço. Isto eu te afirmo.

Bem, mas se optares pelo conceito de "Terra", como "Mundo", aí então a porca torce o rabo. Para acompanhares o meu raciocínio, pensa o seguinte: uma rosa nasce, vira botão, fica linda, amadurece e morre, não é mesmo? Isto num curto espaço de tempo. Eu e tu também; nascemos, fomos bebês lindos, crianças, adolescentes, moços, maduros, alguns, como eu, já envelheceram, e com certeza todos morreremos. Tudo o que existe um dia terminará. Mas sempre haverá a renovação. Senão for no mesmo lugar, será noutro. Talvez isso te sirva de consolo.

A Terra também nasceu um dia. Há cerca de quatro milhões e meio de anos uma estrela explodiu no infinito do Cosmos, formando o "Sistema Solar". O maior fragmento que resultou desse evento é o Sol, que vem a ser uma "estrela". Os demais resíduos ficaram gravitando em torno dele, formando os planetas, os meteoros e outros corpos celestes de menor expressão. No início os planetas eram muito quentes, porém, com o tempo, foram esfriando, a ponto de alguns, como a Terra, propiciar a existência de "vida". Ah! Os planetas do sistema solar são oito: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

A Terra ficou numa distância ideal do sol. O centro dela ainda é puro fogo. Ferro e níquel em estado incandescente. Depois tem o manto que o reveste; uma matéria pastosa, também incandescente, chamada "magma", formada de minerais, rochas e outras matérias. Este manto é revestido pela crosta terrestre, que vem a ser a placas tectônicas. Sobre estas placas estão o mar, a terra, as matas, os animais e, é óbvio, eu e tu. O Universo, o Sistema Solar, a Terra e tudo que nela se contém se movimentam numa velocidade vertiginosa de um lado pra outro, como uma dançarina tresloucada.

O núcleo da Terra está sempre em ebulição. Pronto pra explodir. Só não explode porque os vulcões e as emendas das placas tectônicas permitem que a pressão interna escape, como a válvula da panela de pressão. Ocasionam, claro, terremotos e tsunamis, mas não a ponto de acabar com o Planeta. Não existe previsão exata de quando a Terra terá fim. Pode ser hoje ou daqui a bilhões anos. Mas existe a certeza. Sei que vocês são inteligentes o suficiente para saber que eu fui obrigado a fazer aqui um resumo extremo. Mas isso é ciência pura. Se optares acreditar no "Apocalipse" bíblico, faça-o, mas estarás dando uma demonstração de extrema ignorância... Ou fanatismo. Assim, o fim da Terra não é o fim do Universo, pois este, devido a sua magnitude, é infinito no tempo e no espaço. E é justamente para lá, para lá, que iremos.


logo.jpg

Endereço:
Rua Manoel Teixeira da Rosa, 495
Centro - Sombrio
Fone (48) 3533 0178