Luiz Llantada

As mulheres e os diamantes

01 Junho 2018 08:00:00

As mulheres e os diamantes

Eu não gosto de dizer que alguém está certo ou errado por pensar ou agir diferente de mim. Claro, a não ser quando tal sentimento ou atitude possa trazer grave prejuízo à própria pessoa ou a outra qualquer. Cada um sabe de si. Tem algumas formas de pensar ou agir, porém, que merecem uma reflexão mais aprofundada. Até mesmo para sabermos se não somos nós que estamos errados.

Uma vez eu li uma frase de uma famosa artista de televisão, inteligente e bonita, onde ela disse: "Depois dos 30, a gente fica madura o suficiente para entender porque os diamantes são os melhores amigos da mulher". Mulheres têm fascinação por joias. Até aí tudo bem. Quem pode, por que não tê-las? Alguns homens também gostam. De minha parte, não. Não uso e jamais usaria joias. Se me derem uma, de graça, com a condição de usá-la, agradeço. Podem presenteá-la a outra pessoa. Gosto de outras coisas nesta vida como, por exemplo: comer, beber, sexo, caminhadas, leitura, música, escrever, futebol e dialogar com pessoas inteligentes... E calmas.

A frase dita pela referida artista tem um conteúdo dramático, de quem já sofreu decepções. Ela quis dizer, claro, que o diamante é a coisa que lhe faz feliz nesta fase de sua vida. Senti pena dela, juro. Acho esse um sentimento amargo, perigoso, qual seja a pessoa creditar a sua felicidade a um bem material. Fico pensando, então, se o indivíduo que tem tal preciosidade vier a perdê-la, será uma pessoa totalmente infeliz, pois nada mais lhe restou, uma vez que era apenas um diamante o bem mais valioso de sua vida. Será que ela esqueceu-se de que somos mortais? De quê, daqui a pouco ela, como eu e cada um de nós, morrerá? E a pedra ficará? E será usada por outra pessoa? Acho este tipo de sentimento perigoso... E cruel.

Na minha maneira de ver a vida, eu acho que existem bens de valor muito superior ao diamante, ao ouro ou outra preciosidade. Isto em qualquer fase das nossas vidas. Para mim, nada tem mais valor do que pessoas. Em especial as que eu amo. Estas sim são diamantes puros. E jamais as perderemos, eis quê, se por uma razão ou outra viermos nos separar fisicamente, o sentimento que nos une, ou nos uniu, serão eternos. O diamante é um mineral, é matéria, e por isso um dia irá pulverizar-se.

Talvez seja pelo sentimento daquela artista, que a doença do século é a depressão. Muitas pessoas estão por demais ligadas aos valores materiais, tais como: juventude, beleza física, joias e riquezas em geral. Quando não mais os têm, ou quando os perdem, entram num tal estado de tristeza, que progride para depressão e quê, se não for tratada a tempo e de forma adequada, vai desaguar num labirinto sem volta.

Precisamos alicerçar nossas alegrias, razões de viver e as boas lembranças em sentimentos mais elevados, como é o caso do amor, da fraternidade, do respeito e valorização da criatura humana. Estes sim são os bens supremos do Universo. Nós próprios e os nossos semelhantes, por possuirmos a mente, a inteligência, o sentimento, a emoção e o espírito, valemos muito mais do que qualquer matéria, pois elas, todas, um dia virarão pó. E os sentimentos, que são energia, jamais.


logo.jpg

Endereço:
Rua Manoel Teixeira da Rosa, 495
Centro - Sombrio
Fone (48) 3533 0178