Ambiental

Ação sensibiliza sobre plantas exóticas invasoras

27 Fevereiro 2018 10:50:00

As principais invasoras identificadas são lírio-do-brejo, a uva-do-japão, o pinheiro-americano, o eucalipto, a goiabeira, a nêspera e o chuchu

A flora é um recurso de grande valor para a vida humana de diversas maneiras: na economia, alimentação, medicina, vestuário, entre outros aspectos. Por causa desses benefícios, muitas plantas são levadas para áreas diferentes do seu local de origem e passam a ser chamadas de exóticas. Algumas podem conviver em harmonia com as nativas, mas outras proliferam sem controle e, favorecidas pela ausência de inimigos naturais, têm a capacidade de ameaçar o equilíbrio dos ecossistemas. Os prejuízos causados ao ambiente em que estas plantas invasoras são introduzidas e maneiras de controlá-las foram temas abordados em ação promovida pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC), no dia 20/02, em Timbé do Sul, com moradores lindeiros às obras de implantação e pavimentação da BR-285/RS/SC.

Técnicos da Gestora Ambiental (STE S.A.) e do Consórcio responsável pela execução do Lote 2 (Setep/Ivaí/Sotepa) realizaram visitas domiciliares visando prevenir a introdução de novas espécies exóticas invasoras e fornecer medidas de controle ou erradicação daquelas que já se encontram estabelecidas. A educadora ambiental Ciane Fochesatto explicou como estas plantas podem impactar a biodiversidade. "Elas se espalham com facilidade e sem controle, não deixando espaço, água e luminosidade para que as espécies nativas se desenvolvam", afirmou. Em material distribuído pela equipe foram listadas as principais invasoras identificadas no município, como o lírio-do-brejo, a uva-do-japão, o pinheiro-americano, o eucalipto, a goiabeira, a nêspera e o chuchu.

O biólogo Alecsandro Klein observou os quintais dos moradores e dirimiu dúvidas sobre as espécies cultivadas e formas de manejo para evitar a proliferação das exóticas invasoras. Ele ainda recomendou o plantio de nativas como o jerivá, o manacá-da-serra e a pitangueira. Em relação às medidas adotadas no processo construtivo, Klein ressalta que as plantas exóticas invasoras localizadas na faixa de domínio da rodovia são suprimidas e o solo é removido e confinado para evitar a propagação das mesmas.

Morador do Pé da Serra, José Mário Dal Pont mantém um jardim bem cuidado com espécies da região. "É importante ter conhecimento, porque às vezes a pessoa planta esperando um determinado resultado e pode acabar tendo problemas", avalia. Da mesma forma, o casal Maria Rosângela e Luis Carlos Aguiar garante no seu quintal abrigo e alimentos para os pássaros. "Me decepciona ver a mata nativa dando lugar aos pinheiros. A gente gosta de apreciar a natureza e valoriza o que é nosso", comenta Maria Rosângela, apontando para árvores como a figueira e o palmiteiro.


Imagens

logo.jpg

Endereço:
Rua Manoel Teixeira da Rosa, 495
Centro - Sombrio
Fone (48) 3533 0178